Print This Page

Fraternidade da OFS: 105 anos de presença franciscana

Quase todas as paróquias franciscanas tem uma fraternidade da OFS e, em Gaspar, não é diferente. A Ordem Terceira completou, no último dia 4 de outubro, 105 anos de fundação.  Segundo o Papa João Paulo 2º, a Ordem Franciscana Secular é a mais antiga forma de organização de leigos que, guiados pela Igreja, unidos em fraternidade e inspirando-se no ideal de São Francisco de Assis, se empenham em testemunhar com a vida o evangelho de Jesus Cristo e se dedicam ao apostolado no estado laical.

 A Fraternidade Santo Antônio de Pádua, em Gaspar, foi fundada por Frei Bruno Linden no dia de São Francisco de Assis, 4 de outubro de 1906. Portanto, no dia do fundador da Ordem Franciscana, a Fraternidade festejou 105 anos.

 Como pároco, Frei Germano Guesser é o assistente local da fraternidade e a Fraternidade tem como Ministra local Gertrudes Crescência Spengler, irmã de Frei Evaristo Spengler, da Província da Imaculada Conceição.  Tuti, como é mais conhecida a Ministra, está no terceiro mandato à frente da Ordem e torce para que surjam novas lideranças para manter esse legado de São Francisco. “A renovação está acontecendo, mas é muito lenta. Isso é um pouco preocupante, porque a fraternidade está diminuindo”, avalia Tuti, que desde a adolescência acompanhava a mãe nas reuniões. Para ela, a nossa sociedade vai atrás de outros atrativos e não quer fazer parte de uma Ordem religiosa que exige compromissos. Mesmo a Jufra, que já foi bastante atuante em Gaspar – e hoje não existe mais – só cedeu duas pessoas para a OFS.

 Para ingressar na OFS, é preciso passar por uma etapa de iniciação e formação, que dura em média quatro anos, até que o candidato se torne membro efetivo da Ordem e da família franciscana.  Nesta Fraternidade, a formação está a cargo de Lígia Nagel . Segundo Tuti, a Fraternidade também é formadora no seu exemplo de vida e nas orações.  

 Atualmente, a Fraternidade tem 74 professos, 3 em formação e um simpatizante.  Este terceiro mandato de Tuti como ministra local da Fraternidade, além de fazer do Conselho Regional da OFS.  Aposentada, ela agora quer descansar um pouco e descarta assumir um novo mandato.

 Segundo a Ministra local, o Regional catarinense a que pertence Gaspar é composto por 24 fraternidades, num total de 700 pessoas filiadas à Terceira Ordem.

 Como nasceu a Ordem Franciscana

 A Ordem Franciscana Secular tem suas origens no século XIII, quando leigos manifestaram o desejo de seguir os passos de São Francisco de Assis, seu fundador e fonte de inspiração. No início de sua história vê-se reconhecida pela Igreja como irmãos e irmãs da penitencia. O Papa Gregório IX em 20 de maio de 1221 aprova a primeira Regra “Memoriale Propositi” com a primeira denominação Ordem da Penitência. Em 18 de agosto de 1289 o Papa franciscano Nicolau IV, com a Bula “Supra Montem” reconhecia São Francisco como fundador da Ordem da Penitência e a denominava de Ordem Terceira de São Francisco.

 No século XVIII a Ordem Terceira foi duramente atingida com a supressão da Ordem decretada por José II, Napoleão e outros. Com a Revolução Francesa os terceiros viram-se fragilizados e pagaram com a própria vida sua fidelidade a Igreja. Na segunda metade de século XIX a Ordem Terceira ressurgiu com nova força, fazendo uso da impressa e grandes personalidades, e muitos santos. O Papa Leão XIII com a Constituição Misericors Dei Filius promulgou uma nova Regra em 1884. Ele colocou na Ordem suas esperanças e preferências e exortou calorosamente que a propagassem por toda a parte, e novamente a Ordem floresceu. Em 1966 a Sagrada Congregação dos Religiosos concedeu a Ordem Terceira a “faculdade de atualizar-se”.

 No Brasil, a OFS historicamente está ligada aos Frades da primeira Ordem e abrange todo o território nacional. Ela está organizada em dezesseis Regiões, com cerca de 582 Fraternidades, e aproximadamente 18.000 Franciscanos Seculares em todo o país

 A OFS tem hoje no mundo cerca de 300 mil membros, e vive uma situação contrastante: na Europa está em crise e no sudeste asiático, especialmente na África, cresce a passos largos.