Destaque 2, Notícias › 03/07/2017

Print This Post

Procissão pelo Rio Itajaí-Açu

O mar da Galileia deságua no rio Itajaí-Açu

O sol ainda não tinha nascido e os devotos de São Pedro já estavam de pé! Por volta das 6:30 da manhã, se reuniram no Porto de Areia Deschamps, no bairro Poço Grande, todos os que participaram da procissão fluvial. Também chegou neste horário, a pequena barca que trazia a imagem de São Pedro e Nossa Senhora Aparecida, trazida pelo corpo de bombeiros da cidade que cuidou do sistema de segurança da procissão.

As barcas zarparam do pequeno porto e, atracada a uma grande barca motorizada, havia uma pequena embarcação que o povo batizou de “jabiraca”, na qual houve uma festa que perdurou por toda procissão. Frei César Külkamp, que pregou nos três dias do Tríduo participou da romaria junto com os devotos. Ao todo 25 embarcações acompanhavam o trajeto.

Muitos curiosos e devotos acorriam à margem do rio Itajaí-Açu para prestigiar a procissão que corria rio acima. Ao passar por debaixo da ponte Hercílio Decke, alguns devotos de São Pedro lançaram pétalas de rosas sobre a procissão que já se aproximava da Igreja Matriz.

Fogos de artifício, música e muita devoção acompanharam a “jabiraca” de São Pedro rio Itajaí acima. A procissão findou na região central de Gaspar, atracando no terreno detrás da lanchonete Beira Rio. Quando os romeiros desembarcaram, os sinos batiam revelando a grande expectativa para a celebração.

O centro de Gaspar parou, graças à ajuda da polícia militar que escoltou os romeiros até a escadaria. Dali os bombeiros carregaram a pequena barca com São Pedro e Nossa Senhora até a frente da Igreja onde os festeiros, os coroinhas, os presbíteros e o Bispo Dom Rafael aguardavam a chegada do grande padroeiro.