Paróquia São Pedro Apóstolo - Gaspar, SC

Notícias › 29/07/2013

Papa aos jovens: “Ide, sem medo, para servir!”

envio

Três milhões de jovens se despediram do Papa Francisco nas areias de Copacabana, mas levarão consigo uma recomendação do Santo Padre: “Ide, sem medo, para servir!”. E assim, na Missa do Envio, terminou a Jornada Mundial da Juventude no Brasil. O próximo compromisso dos jovens será em 2016, em Cracóvia, Polônia, a terra do bem-aventurado João Paulo II e criador da JMJ. Fiéis poloneses presentes na JMJ festejaram a escolha da cidade como sede. Cracóvia fica próxima a Wadowice, terra natal do Papa João Paulo II.

Para os jovens brasileiros, só em 2017 poderão ver o Papa novamente. “Nos vemos novamente aqui em 2017!”, foi a promessa do Papa Francisco em suas palavras aos peregrinos do Santuário Nacional de Aparecida, após a Missa de hoje que ele mesmo presidiu. Em 2017, acontecerá a celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no rio Paraíba pelos três pescadores. A festa será em sintonia com o Santuário de Fátima, que celebra os 100 anos das aparições de Maria.

Francisco foi até o palco montado em Copacabana de papamóvel, em percurso pelo meio da multidão que durou cerca de 50 minutos. Durante o trajeto, o pontífice acenou para os fiéis, beijou crianças, abençoou alguns peregrinos e bebeu chimarrão após receber a cuia de um dos participantes.

Próximo ao palco, os presidentes do Brasil, Dilma Rousseff; da Argentina, Cristina Kirchner; e da Bolívia, Evo Morales, aguardaram juntos os preparativos para a missa do Papa Francisco, que foi acompanhada pelo governador do Rio, Sérgio Cabral; pelo prefeito local, Eduardo Paes; além de outras autoridades políticas.

Antes de ter início a celebração, foi realizado o maior flash mob do mundo.  A coreografia que mobilizou os jovens, os padres, religiosos e até mesmo os bispos que se encontram no altar. Na última Jornada Mundial da Juventude, realizada em Madri, os jovens fizeram coreografia semelhante e, mobilizados pelas redes sociais, prepararam esta que foi realizada em Copacabana.

A celebração eucarística transcorreu harmonicamente no belo altar montado na praia de Copacabana.

A primeira leitura, do Livro do Profeta Jeremias, foi feita em inglês. O Salmo foi cantado em português. O refrão repetido: “Publicai, em toda terra, as maravilhas do Senhor!”. A segunda leitura, feita em espanhol, foi tirada da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios. A aclamação ao evangelho, animada por cantores católicas: “ide fazei discípulos em todas as nações”. O evangelho (Mt 28, 16-20) foi proclamado por um diácono da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Na sua homilia, o Papa citou logo no início o lema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” e fundamentou sua mensagem em três pontos ou palavras: “Ide, sem medo, para servir”, enfatizou. “Não tenham medo de levar Cristo a todos os ambientes”, pediu. Mas também pediu aos padres que acompanhem os jovens para que eles nunca se sintam sozinhos: “Sigam adiante e não tenham medo”.

Segundo o Papa, seguindo essas três palavras, os jovens irão perceber que quem evangeliza, é evangelizado e presenteou os jovens com uma frase: “Queridos jovens: Jesus Cristo conta com vocês, a Igreja conta com vocês. O Papa conta com vocês!”. (leia abaixo a homilia na íntegra)

As preces da assembleia foram feitas em várias línguas: Pela Igreja, em árabe; pelo Papa, bispos, padres e diáconos, em português; pelas nações, em italiano; pela Jornada da Juventude, em polonês; pelos doentes, prisioneiros e exilados, em alemão; pelas vítimas do acidente na Espanha, em espanhol. Durante o ofertório, famílias levaram o cálice e a patena. O Papa Francisco abençoou as crianças e cumprimentou os pais. Durante esse momento, cantores católicos cantaram: “Recebe, Senhor, nossa oferta, é de coração”.

O Pai Nosso foi cantado em latim. A Orquestra Sinfônica Brasileira animou cânticos litúrgicos, que teve a participação dos padres cantores conhecidos, como Fábio de Melo, Juarez, Omar e Reginaldo Manzoti. Papa Francisco distribuiu a comunhão aos diáconos. Irmã Kelly Patrícia e os padres cantores entoaram o canto da comunhão. Foram produzidas mais de quatro milhões de hóstias para a Jornada Mundial da Juventude.

Antes do anúncio de Cracóvia como cidade-sede da próxima JMJ, o Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos, Cardeal Stanislaw Rylko, fez um agradecimento ao Papa Francisco. “Ao término destes dias maravilhosos e inesquecíveis que passamos no Rio de Janeiro, com o coração cheio de alegria, os jovens desejam expressar-lhe, Santo Padre, sua devoção e gratidão. Obrigado por ter presidido esta JMJ! Obrigado pelas palavras que dirigiu a estes jovens, palavras de esperança e indicações seguras para o caminho”, disse.

Cardeal Rylko disse ainda que a JMJ Rio2013 teve grandes frutos na evangelização; foram cerca de 300 bispos fizeram catequeses em 27 línguas diversas. Ele pediu que o Santo Padre abençoe os jovens discípulos e missionários de Jesus Cristo. “Eles estão aqui, prontos a partir deste imenso Cenáculo ao ar livre – exatamente como uma vez os apóstolos saíram do Cenáculo de Pentecostes – para testemunhar a sua fé até os extremos confins da terra!”, disse.

Missa do Envio

Leia a homilia na íntegra:

Venerados e amados Irmãos no episcopado e no sacerdócio,

Queridos jovens!

«Ide e fazei discípulos entre todas as nações». Com estas palavras, Jesus se dirige a cada um de vocês, dizendo: «Foi bom participar nesta Jornada Mundial da Juventude, vivenciar a fé junto com jovens vindos dos quatro cantos da terra, mas agora você deve ir e transmitir esta experiência aos demais». Jesus lhe chama a ser um discípulo em missão! Hoje, à luz da Palavra de Deus que acabamos de ouvir, o que nos diz o Senhor? Três palavras: Ide, sem medo, para servir.

1. Ide. Durante estes dias, aqui no Rio, vocês puderam fazer a bela experiência de encontrar Jesus e de encontrá-lo juntos, sentindo a alegria da fé. Mas a experiência deste encontro não pode ficar trancafiada na vida de vocês ou no pequeno grupo da paróquia, do movimento, da comunidade de vocês. Seria como cortar o oxigênio a uma chama que arde. A fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida, para que todos possam conhecer, amar e professar que Jesus Cristo é o Senhor da vida e da história (cf. Rm 10,9).

Mas, atenção! Jesus não disse: se vocês quiserem, se tiverem tempo, mas: «Ide e fazei discípulos entre todas as nações». Partilhar a experiência da fé, testemunhar a fé, anunciar o Evangelho é o mandato que o Senhor confia a toda a Igreja, também a você. É uma ordem sim; mas não nasce da vontade de domínio ou de poder, nasce da força do amor, do fato que Jesus foi quem veio primeiro para junto de nós e nos deu não somente um pouco de Si, mas se deu por inteiro, deu a sua vida para nos salvar e mostrar o amor e a misericórdia de Deus. Jesus não nos trata como escravos, mas como homens livres, amigos, como irmãos; e não somente nos envia, mas nos acompanha, está sempre junto de nós nesta missão de amor.
Para onde Jesus nos manda? Não há fronteiras, não há limites: envia-nos para todas as pessoas. O Evangelho é para todos, e não apenas para alguns. Não é apenas para aqueles que parecem a nós mais próximos, mais abertos, mais acolhedores. É para todas as pessoas. Não tenham medo de ir e levar Cristo para todos os ambientes, até as periferias existenciais, incluindo quem parece mais distante, mais indiferente. O Senhor procura a todos, quer que todos sintam o calor da sua misericórdia e do seu amor.

De forma especial, queria que este mandato de Cristo -”Ide” – ressoasse em vocês, jovens da Igreja na América Latina, comprometidos com a Missão Continental promovida pelos Bispos. O Brasil, a América Latina, o mundo precisa de Cristo! Paulo exclama: «Ai de mim se eu não pregar o evangelho!» (1Co 9,16). Este Continente recebeu o anúncio do Evangelho, que marcou o seu caminho e produziu muito fruto. Agora este anúncio é confiado também a vocês, para que ressoe com uma força renovada. A Igreja precisa de vocês, do entusiasmo, da criatividade e da alegria que lhes caracterizam! Um grande apóstolo do Brasil, o Bem-aventurado José de Anchieta, partiu em missão quando tinha apenas dezenove anos! Sabem qual é o melhor instrumento para evangelizar os jovens? Outro jovem! Este é o caminho a ser percorrido!

2. Sem medo. Alguém poderia pensar: «Eu não tenho nenhuma preparação especial, como é que posso ir e anunciar o Evangelho»? Querido amigo, esse seu temor não é muito diferente do sentimento que teve Jeremias, um jovem como vocês, quando foi chamado por Deus para ser profeta. Acabamos de escutar as suas palavras: «Ah! Senhor Deus, eu não sei falar, sou muito novo». Deus responde a vocês com as mesmas palavras dirigidas a Jeremias: «Não tenhas medo… pois estou contigo para defender-te» (Jr 1,8). Deus está conosco!
«Não tenham medo!» Quando vamos anunciar Cristo, Ele mesmo vai à nossa frente e nos guia. Ao enviar os seus discípulos em missão, Jesus prometeu: «Eu estou com vocês todos os dias» (Mt 28,20). E isto é verdade também para nós! Jesus não nos deixa sozinhos, nunca lhes deixa sozinhos! Sempre acompanha a vocês!

Além disso, Jesus não disse: «Vai», mas «Ide»: somos enviados em grupo. Queridos jovens, sintam a companhia de toda a Igreja e também a comunhão dos Santos nesta missão. Quando enfrentamos juntos os desafios, então somos fortes, descobrimos recursos que não sabíamos que tínhamos. Jesus não chamou os Apóstolos para viver isolados, chamou-lhes para que formassem um grupo, uma comunidade. Queria dar uma palavra também a vocês, queridos sacerdotes, que concelebram comigo esta Eucaristia: vocês vieram acompanhando os seus jovens, e é uma coisa bela partilhar esta experiência de fé! Mas esta é uma etapa do caminho. Continuem acompanhando os jovens com generosidade e alegria, ajudem-lhes a se comprometer ativamente na Igreja; que eles nunca se sintam sozinhos!

3. A última palavra: para servir. No início do salmo proclamado, escutamos estas palavras: «Cantai ao Senhor Deus um canto novo» (Sl 95, 1). Qual é este canto novo? Não são palavras, nem uma melodia, mas é o canto da nossa vida, é deixar que a nossa vida se identifique com a vida de Jesus, é ter os seus sentimentos, os seus pensamentos, as suas ações. E a vida de Jesus é uma vida para os demais. É uma vida de serviço.

São Paulo, na leitura que ouvimos há pouco, dizia: «Eu me tornei escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível» (1 Cor 9, 19). Para anunciar Jesus, Paulo fez-se «escravo de todos». Evangelizar significa testemunhar pessoalmente o amor de Deus, significa superar os nossos egoísmos, significa servir, inclinando-nos para lavar os pés dos nossos irmãos, tal como fez Jesus.

Ide, sem medo, para servir. Seguindo estas três palavras, vocês experimentarão que quem evangeliza é evangelizado, quem transmite a alegria da fé, recebe alegria. Queridos jovens, regressando às suas casas, não tenham medo de ser generosos com Cristo, de testemunhar o seu Evangelho. Na primeira leitura, quando Deus envia o profeta Jeremias, lhe dá o poder de «extirpar e destruir, devastar e derrubar, construir e plantar» (Jr 1,10). E assim é também para vocês. Levar o Evangelho é levar a força de Deus, para extirpar e destruir o mal e a violência; para devastar e derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio; para construir um mundo novo. Jesus Cristo conta com vocês! A Igreja conta com vocês! O Papa conta com vocês! Que Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, lhes acompanhe sempre com a sua ternura: «Ide e fazei discípulos entre todas as nações». Amém.

Os comentários estão desativados.

X