Destaque 2, Notícias › 03/07/2016

Print This Post

O solene dia do Padroeiro de Gaspar

solene3

Moacir Beggo

 Gaspar (SC) – O grande dia da Festa de São Pedro Apóstolo de Gaspar (SC) foi celebrado neste domingo (3 de julho) com a Missa solene às 9h30, presidida pelo bispo da Diocese de Blumenau, Dom Rafael Biernaski. Mas, liturgicamente, a imagem do Padroeiro já estava nas águas do Rio Itajaí às 7 horas, quando teve início a procissão fluvial.

Este ano, a imagem de São Pedro deixou a Comunidade São Sebastião e foi carregada pelo Rio Itajaí até um ponto do rio próximo da Matriz. O futuro bispo Frei Evaristo Spengler, que é natural de Gaspar, e Frei João Reinert, que preparou o povo para esta Festa durante o Tríduo, acompanharam o Padroeiro no percurso pelo rio. O pároco Frei Paulijacson de Moura recebeu a imagem na chegada, que foi carregada pelo caminhão do Corpo de Bombeiros até as escadarias da Matriz. Quatro marinheiros levaram o andor em procissão até o presbitério da Matriz, dando início assim à solene Eucaristia.

solene4Frei Paulo acolheu a Dom Rafael, apresentou o futuro bispo Frei Evaristo, ovacionado pelo povo, os seus confrades na Fraternidade, o guardião Frei Carlos Ignácia e Frei Lindolfo Jasper, Frei João Reinert e Frei José Bertoldi, muito querido pelo povo gasparense. O futuro bispo Frei Evaristo ganhou de Dom Rafael um solidéu para usar durante a celebração. Segundo Dom Rafael, ele poderia usá-lo antes de ser ordenado bispo no dia 6 de agosto.

O Coral Santa Cecília e a Banda de Música São Pedro contribuíram para aumentar o tom solene da celebração. Os festeiros deste ano abriram a procissão de entrada com velas acesas. Foram aplaudidos pelo povo, que reconheceu a dedicação e a doação para que este evento pudesse se realizar novamente. Depois, casais representando as 16 comunidades da Paróquia trouxeram a imagem de São Pedro em um barquinho.

Dom Rafael agradeceu a Frei Paulijacson pelo convite para presidir a celebração e saudou a todos. “Estamos hoje solenemente festejando o martírio de Pedro e de Paulo e também o Padroeiro desta Paróquia. Dois mil anos depois, estamos nós aqui, na história, no nosso caminhar, no nosso dia a dia, e Deus nos toca com o seu amor, a sua presença, e aquela revelação que Pedro experimenta é trazida para nós de geração em geração pela fé”, disse.

solene6Dom Rafael se referia à Primeira Leitura narrando a libertação de Pedro da prisão: “Quem vai nos libertando, quem vai nos devolvendo a vida, o serviço, é o próprio Deus. É a oração, dizia o Atos dos Apóstolos, que ia transformando Pedro e o libertando”.

O bispo continua: “Jesus entrega as chaves a Pedro e diz: ‘Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja’. Te dou as chaves para que você possa abrir os nossos corações para a relação com Deus, abrir os nossos corações para a conversão”, disse, recordando do Ano da Misericórdia. “Aqui estamos hoje constituídos na história de modo festivo nesta manhã, tocados por Deus. Somos obras de Deus. Deus que nos libertou dos nossos fechamentos, dos nossos egoísmos, e aqui estamos constituídos em assembleia para dizer: ‘Deus, somos a tua obra. Somos a tua salvação”, acrescentou o bispo.

Dom Rafael lembrou que Pedro estava enganado quando, no início de seu seguimento, disse: “Jesus, eu te seguirei onde quiseres e como quiseres’. “Ele apenas deu os primeiros passos na vida, no seguimento de Jesus, e, frágil, falhou. Todos nós somos assim. Deus nos concebeu assim. Deus nos fez ovelhinhas que se perdem, e Deus não quer nos mudar. Deus quer nos salvar assim como ovelhinhas, como Pedro. E, por isso, Deus toca Pedro, liberta-o e o transforma. É obra de Deus. E assim somos nós. Este é o mistério e o projeto de Deus”, explicou.

solene2

Segundo o bispo, todos nós participamos do martírio de Pedro e Paulo. “Martírio significa testemunho. O testemunho de fé de que fomos tocados por Deus.  Estamos aqui na história da nossa existência, hoje, sendo conduzidos por Deus, para dizer que nós queremos te dar a vida”. “Hoje brilha para toda essa região, para toda a Diocese, o nosso testemunho”, acrescentou.

Ao citar o Evangelho, o bispo lembrou que Jesus está em Cesareia e aí pergunta aos discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”. “Jesus quer saber o que pensam dele os de fora, os que não pertencem ao grupo dos discípulos. A pergunta de Jesus para os discípulos vai ser feita hoje para nós também: Quem é Jesus para mim?”, perguntou.

solene5

“Vamos pedir a Deus essa fé que o levou Pedro e Paulo ao martírio. Vamos pedir a Deus que nos toque e aumente a nossa fé. E quando Jesus perguntar a nós, como perguntou a Pedro, tu me amas? Senhor, tu sabes que te amo e quero que tu me toques”, indicou o bispo.

No final da celebração, Frei Paulijacson não poupou agradecimentos a todos que trabalharam nesta 166ª edição da Festa, a Frei João pela pregação do Tríduo e a Dom Rafael pela presença neste dia. O coordenador do CPC, Nivaldo Schmitz e sua esposa Renata, apresentaram os casais que serão os festeiros do próximo ano.

Terminada a Missa, o povo desceu as escadarias da Matriz para dar continuidade às festividades do Padroeiro, com muita comida, leilão de gado, confraternização e alegria.

solene1

FREI EVARISTO

O gasparense Frei Evaristo Spengler convidou o povo para a sua ordenação no dia 6 de agosto, às 9 horas, na Matriz São Pedro Apóstolo, e pediu ao povo que rezasse por seu ministério episcopal na Prelazia do Marajó.

“O ano passado estive aqui pregando o Tríduo e tenho a graça de retornar aqui um ano depois. Uma vez, o Carlos Mesters, um grande biblista, dizia que é muito difícil conhecer a vontade de Deus. E que se tem de estar sempre em busca desta vontade. Até o ano passado, eu pensei que essa vontade de Deus fosse que eu retornasse para a Missão de Angola. E a Província, da qual eu sou frade, me elegeu Vigário Provincial para trabalhar na evangelização por três anos. Fiquei três meses e Deus me deu uma nova missão, através do Papa Francisco, como o bispo da Prelazia do Marajó”, confessou. Ele falou um pouco de sua visita à Prelazia recentemente e contou: “A vida e a fé daquele povo me entusiasmaram”. Frei Evaristo é o quinto bispo da cidade, junto com Dom Daniel Hostin, Dom Quirino Schmitz, Dom Carlos Schmitt e Dom Jaime Spengler.

IMAGENS DA PROCISSÃO FLUVIAL ANTES DA CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

IMAGENS DO INÍCIO DA SANTA MISSA ATÉ O ENCERRAMENTO NO SALÃO CRISTO REI