Mensagem de Frei Germano para a Páscoa

Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá (Jo 11,25)

Estamos vivendo um tempo muito especial em nossas vidas. É tempo de Páscoa, a principal festa cristã, que comemora a ressurreição de Jesus Cristo. A festa tem origem na celebração judaica, mas possui um significado diferente. Enquanto para os judeus a Páscoa (passagem) representa a libertação do povo de Israel do Egito, conduzida por Moisés, no cristianismo a Páscoa celebra a ressurreição de Jesus Cristo, a passagem da morte para a vida eterna.

A ressurreição de Jesus é a certeza de que o amor de Deus é mais forte. A morte não tem a última palavra. A morte de Jesus não é um fracasso, um caminho sem saída, mas a inauguração da paz e salvação plena na presença de Deus. “Por que buscais entre os mortos aquele que vive? Não está aqui. Ressuscitou!” (Lc 24, 5b-6)

Também para nossa Igreja Católica, o Papa Francisco começa um novo capítulo. Não sabemos o que vai acontecer, mas sabemos da sua disposição ao escolher seu nome. O nome Francisco remete à pobreza, paz e amor (cuidado) para com todas as criaturas. Francisco de Assis foi o santo da simplicidade e dos pobres, o santo da fraternidade e da radicalidade do Evangelho. “Ah, como quero uma Igreja pobre, como quero uma Igreja para os pobres!” Esse será o seu grande programa de governo.

Cristo confiou a Pedro a tarefa de “confirmar os irmãos na fé” (Lc 22,32). Agora Francisco, homem simples e humilde, assume a missão de conduzir este numeroso rebanho, com suas muitas diferenças.

A barca de Pedro, agora sob os cuidados de Francisco, sempre navegou em mares revoltos. Que Francisco olhe a Igreja para além de si mesma e de seus conflitos internos, que poderão ser tratados à luz da justiça, paz e ecologia. Não lhe falte força, coragem, discernimento e iluminação

Que não fiquemos parados na Sexta-Feira Santa, mas sejamos conduzidos pela Luz e pela certeza da Ressurreição. Feliz e abençoada Páscoa no Cristo Ressuscitado!