Santo do dia → 14/11/2017

Print This Post
novembro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

3ª-feira da 32ª Semana do Tempo Comum

1ª Leitura – Sb 2,23-3,9

Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; mas eles estão em paz. 

Leitura do Livro da Sabedoria 2,23-3,9

23 Deus criou o homem para a imortalidade 
e o fez à imagem de sua própria natureza; 
24 foi por inveja do diabo que a morte entrou no mundo, 
e experimentam-na os que a ele pertencem. 
3,1 A vida dos justos está nas mãos de Deus, 
e nenhum tormento os atingirá. 
2 Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; 
sua saída do mundo foi considerada uma desgraça, 
3 e sua partida do meio de nós, uma destruição; 
mas eles estão em paz. 
4 Aos olhos dos homens parecem ter sido castigados, 
mas sua esperança é cheia de imortalidade; 
5 tendo sofrido leves correções, 
serão cumulados de grandes bens, 
porque Deus os pôs à prova e os achou dignos de si. 
6 Provou-os como se prova o ouro no fogo 
e aceitou-os como ofertas de holocausto; 
7 no dia do seu julgamento hão de brilhar, 
correndo como centelhas no meio da palha; 
8 vóo julgar as nações e dominar os povos, 
e o Senhor reinará sobre eles para sempre. 
9 Os que nele confiam compreenderão a verdade, 
e os que perseveram no amor ficarão junto dele, 
porque a graça e a misericórdia são para seus eleitos. 
Palavra do Senhor. 

Salmo – Sl 33 (34),2-3. 16-17. 18-19 (R. 2a)

R. Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo! 

2 Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, * 
seu louvor estará sempre em minha boca. 
3 Minha alma se gloria no Senhor; * 
que ouçam os humildes e se alegrem! R.

16 O Senhor pousa seus olhos sobre os justos, * 
e seu ouvido está atento ao seu chamado; 
17 mas ele volta a sua face contra os maus, * 
para da terra apagar sua lembrança. R.

18 Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta * 
e de todas as angústias os liberta. 
19 Do coração atribulado ele está perto * 
e conforta os de espírito abatido. R. 

Evangelho – Lc 17,7-10

Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 17,7-10

Naquele tempo, disse Jesus: 
7 Se algum de vós tem um empregado 
que trabalha a terra ou cuida dos animais, 
por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: 
‘Vem depressa para a mesa?’ 
8 Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: 
‘Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, 
enquanto eu como e bebo; 
depois disso tu poderás comer e beber?’ 
9 Será que vai agradecer ao empregado, 
porque fez o que lhe havia mandado? 
10 Assim também vós: 
quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, 
dizei: ‘Somos servos inúteis; 
fizemos o que devíamos fazer’.’ 
Palavra da Salvação. 

Reflexão – Lc 17, 7-10

Somos todos servos inúteis. Deus não precisa de nós, uma vez que ele pode, por si só, realizar todas as coisas. Mas Deus quis contar conosco, com a nossa colaboração, e isso não em vista da pessoa dele, mas sim em vista do nosso próprio bem, uma vez que, quando colaboramos com a obra da salvação da humanidade, estamos de fato participando de uma obra que não é humana, mas divina, o que se torna para nós causa de santificação e caminho de perfeição. O amor de Deus por nós é tão grande que faz da nossa inutilidade fonte de santificação e de vida nova, não só para nós mesmos, mas também para toda a Igreja, para todas as pessoas.

Fonte: CNBB